Bolsonaro veta auxílio para agricultores familiares

Bolsonaro veta PL da agricultura familiar

PL 823 previa a criação de linhas de crédito e auxílio de R$ 2,5 mil para as famílias que vivem da agricultura familiar

Por CUT

O presidente Jair Bolsonaro vetou integralmente nesta sexta-feira (17) o Projeto de Lei (PL) 823/2021, de apoio à agricultura familiar. Aprovado em agosto pelo Senado, o PL propõe medidas emergenciais de amparo aos pequenos produtores para reduzir os impactos sofridos pela categoria durante a pandemia de Covid-19. De acordo com nota da Secretaria-Geral da Presidência, a proposta “contraria o interesse público”. Além disso, o governo alega que não havia estimativa do impacto orçamentário e financeiro da medida, o que configuraria “óbice jurídico”.

A proposta estabelece um programa de abastecimento emergencial a pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional por meio de produtos adquiridos da agricultura familiar. Além disso, também previa o pagamento de um auxílio de R$ 2,5 mil para as famílias que vivem da agricultura familiar.

Constava ainda na proposta a criação de linhas de créditos destinadas ao custeio de investimento de atividades relacionadas à produção de alimentos básicos e de leite, além da renegociação de dívidas dos agricultores familiares que foram prejudicados pela pandemia.

De acordo com o deputado federal Pedro Uczai (PT-SC), o veto presidencial é é “absurdo”. “Jair Bolsonaro demonstra, mais uma vez, que é um presidente que não respeita os agricultores familiares e camponeses. É um presidente que não quer enfrentar o tema da inflação dos alimentos, da fome e da desigualdade social”, declarou o parlamentar.

#DerrubaVetoPL823

Uczai disse que vai trabalhar pela derrubada do veto. “Vamos mobilizar a sociedade brasileira, pressionar os deputados e senadores para derrubar o veto do presidente e transformar o PL 823 em lei, para apoiar os agricultores e enfrentar a inflação, a insegurança alimentar e a fome”, declarou nas redes sociais.

Organizações como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais e Agricultores e Agricultoras Familiares (Contag) e a Articulação Nacional da Agroecologia (ANA) se mobilizaram pela aprovação desse projeto. E devem repetir os esforços pela derrubada do veto.

Em 2020, Bolsonaro já vetou quase a íntegra de outro projeto de lei semelhante que resultou na chamada Lei Assis Carvalho. Para derrubar a decisão do presidente, são necessários, no mínimo, 257 votos na Câmara dos Deputados e 41 no Senado.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Mais postagens

Agricultura Familiar Esocial

Agricultura Familiar agora deve declarar ao eSocial todos os meses

Veja como a Agricultura Familiar deve informar a comercialização da sua propriedade ao eSocial para não ter problemas com o …

Nova gestão da Assintraf

São Miguel do Oeste: nova gestão da ASSINTRAF é eleita e empossada

A Agricultura Familiar de Santa Catarina comemora o fortalecimento de mais uma entidade filiada à FETRAF-SC. A nova gestão da …

Bolsonaro veta PL da agricultura familiar

Bolsonaro veta auxílio para agricultores familiares

PL 823 previa a criação de linhas de crédito e auxílio de R$ 2,5 mil para as famílias que vivem …