Agricultura Familiar se reúne para fortalecer as feiras de produtos agroecológicos no Oeste de SC

produtos agroecologicos sao discutidos em oficina

Além de fortalecer o comércio de produtos agroecológicos, a oficina, que aconteceu em Seara, também discutiu os desafios da produção na Agricultura Familiar da região.

 

Cerca de 30 agricultoras e agricultores familiares da região Oeste de Santa Catarina estiveram em uma propriedade na Linha 13 de Maio, interior de Seara, onde discutiram os desafios da produção e comercialização de produtos agroecológicos e fortalecer as feiras da Agricultura Familiar da região.

De acordo com a Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar de Santa Catarina (FETRAF-SC), que organizou a oficina, um dos maiores desafios é estreitar a relação com os consumidores, sendo as feiras os melhores exemplos dessa interação entre as famílias do campo e da cidade, “isso precisa ser ampliado e potencializado, garantindo maior renda para quem produz e assegurando uma alimentação de qualidade aos que consomem”, destaca o coordenador de Juventude e Finanças da Federação, Éder Tochetto.

Na oportunidade, as trabalhadoras e trabalhadores do campo relataram sobre os desafios na cadeia de produção de diversos alimentos da Agricultura Familiar, como frutas, verduras, carne e derivados, panificados, geleias, etc.

A intenção desse encontro, segundo Tochetto, é debater soluções que garantam autonomia e sustentabilidade para as propriedades, além de reunir ideias para otimizar a produção e a comercialização, inclusive de produtos agroecológicos.

eder tochetto
Para Éder Tochetto, as feiras são importantes para garantir alimentação de qualidade para a população (Foto: Divulgação/Assessoria FETRAF-SC)

Desafios na produção

O evento aconteceu na propriedade da família de Leila Andreia Cosmann, agricultora familiar, atriz, diretora e professora. Leila, que se afastou da produção de frutas da família por um curto período apenas para fazer Ensino Superior, diz que o maior desafio é a falta de mão-de-obra. “Trinta anos atrás, tínhamos duas famílias que trabalhavam na propriedade, agora, somos apenas nós”, conta.

Ela explica, ainda, que teve a ideia de trazer as artes cênicas para o espaço e atrair mais visitantes ao Eco Sitio Lindo, onde a família mora, “desde 2015 trabalhamos com turismo rural e esquetes teatrais, apenas fizemos uma pausa agora, durante a pandemia”, complementa a agricultora, cuja propriedade conta com selo de produtos orgânicos há 30 anos.

“Trinta anos atrás, tínhamos duas famílias que trabalhavam na propriedade, agora, somos apenas nós” – Leila Cosmann, agricultora e atriz

Leila tem producao de produtos agroecologicos
Leila Cosmann teve a ideia de trazer as artes cênicas para o espaço e atrair mais visitantes (Foto: Divulgação/Assessoria FETRAF-SC)

Luta por produtos agroecológicos

Discutir a produção agroecológica é um dos objetivos das oficinas do projeto Terra Solidária Articulando Territórios, da FETRAF-SC, que vem desde a sua fundação, em 1997, encabeçando a luta por alimentação saudável.

Éder Tochetto revela que o projeto iniciou em 2021 e, desde então, já realizou centenas de oficinas em 35 sindicatos com abrangência em 123 municípios de Santa Catarina, “são mais de 5 mil lideranças da Agricultura Familiar beneficiadas direta ou indiretamente por esta ação”.

O Projeto Terra Solidária Articulando Territórios, realizado através do Termo de Fomento 1282, promove seminários e oficinas nos Sindicatos de base da Federação acerca das particularidades de cada local, dialogando sobre modelos de produção, organização sindical e resgate das lutas da Agricultura Familiar.

Além de Éder Tochetto, também contribuíram com a oficina o articulador do Projeto, Gustavo Pozzoni, o coordenador do Projeto, Joel Tomazi, a extensionista da Epagri, Aline Bellicanta e o presidente da Crediseara, Adair Jachi.

Veja mais alguns registros da oficina:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Mais postagens