“O Governo de SC e os prefeitos estão sendo coniventes com a tragédia”, diz manifesto

manifesto em SC

COMPARTILHE ISSO

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

FETRAF-SC se une a cerca de 80 entidades de SC para pedir socorro diante da pandemia de Covid-19

“Estamos vivendo um colapso na saúde do nosso Estado. Não temos mais leitos de UTI, nem leitos de enfermaria, não temos insumos, não temos oxigênio, não temos profissionais. Este é o momento de unir forças para enfrentar essa catástrofe com a seriedade que o momento exige”.

Com esta fala, Jandir Selzer, coordenador geral da FETRAF-SC (Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar de Santa Catarina), justifica a importância da Federação aderir ao manifesto que cobra ações públicas imediatas para salvar vidas em SC, diante do agravamento da pandemia de Covid-19.

São quase 80 entidades sindicais, movimentos e organizações de Santa Catarina que assinam um documento direcionado ao governador Carlos Moisés, prefeituras e autoridades públicas.

Manifesto pede “lockdown” imediato em SC

Um dos pontos que norteia o manifesto é o pedido de paralização total das atividades em SC. “Lockdown” é uma expressão em inglês que significa fechamento ou confinamento total.

Santa Catarina, por definição, não tomou essa atitude mais drástica para conter a pandemia, e apenas decretou fechamento parcial, nos fins de semana.

Para as entidades que assinam o manifesto, o governo do Estado e prefeitos são coniventes com o colapso, já que seus decretos definem apenas medidas paliativas.

“As autoridades públicas (governador e prefeitos) estão sob o domínio dos interesses empresariais, atuando para salvar o lucro dos ricos em detrimento da vida da classe trabalhadora e do povo pobre”, denuncia um trecho da nota.

No manifesto, as organizações de SC também denunciam a postura dos gestores públicos em tentar salvar a economia, o que, segundos as entidades, levará Santa Catarina à pior crise da sua história, inclusive do ponto de vista econômico.

Veja o que as entidades pedem

Entre as restrições brandas ao comércio, as entidades criticam a decisão de retorno das aulas presenciais e se posicionam contra a reabertura das escolas até que a população seja massivamente vacinada.

Além de se posicionarem contra o retorno das aulas, as 80 organizações também pedem:

  • O fechamento de comércio de produtos não essenciais;
  • Suspensão do transporte coletivo;
  • Proibição de qualquer evento social com presença de público;
  • Maior suporte logístico aos hospitais e serviços de saúde;
  • Fechamento de praias e parques;
  • Testagem em massa de toda a população;
  • Contratação de mais profissionais de saúde;
  • Retomada do auxílio emergência;
  • Aquisição de vacinas.

Leia o manifesto na íntegra

APELO EM DEFESA DA VIDA

É hora de parar Santa Catarina! O lucro não pode estar acima da vida!

Santa Catarina está vivendo o momento mais grave da pandemia da Covid 19. Os hospitais estão lotados, com pacientes entubados em emergências e nos corredores. Tem pessoas morrendo em casa por falta de vagas nos hospitais. Os números oficiais estão amenizando a gravidade da situação.

As autoridades públicas (governador e prefeitos) estão sob o domínio dos interesses empresariais, atuando para salvar o lucro dos ricos em detrimento da vida da classe trabalhadora e do povo pobre.

É aterradora a situação nos hospitais, com profissionais da saúde no limite da resistência física e psicológica, já tendo que decidir quem vai pra UTI e quem fica na maca, quem morre agora ou daqui a pouco.

Não demora e teremos pessoas morrendo na rua, nas calçadas, sem conseguir acesso aos hospitais.

O Governo do Estado e os prefeitos estão sendo coniventes com a tragédia que se instala a olhos vistos. Seus decretos não passam de faz de conta, com medidas inócuas para enganar a população, seguindo o negacionista de Brasília e seu rastro de mais de 250 mil mortes.

Ao invés de “salvar a economia”, esta postura vai levar Santa Catarina à pior crise de sua história, inclusive do ponto de vista econômico.

Passou da hora de parar tudo, deixando apenas os serviços essenciais em funcionamento, ou a tragédia vai crescer ainda mais. Urge a retomada consistente da fiscalização das medidas sanitárias, e com certeza a aquisição de vacinas pelo estado.

É em meio a esse caos que o atual secretário de educação, empossado para rearranjar a política aos velhos moldes MDBistas, anuncia o retorno presencial, resultado do lobby que culminou na ALESC aprovando, em dezembro último, a educação como atividade essencial ENQUANTO DURAR A PANDEMIA. É assim que chancelaram, para 2021, este retorno caótico e marcado pelo medo da morte. Há um acordo, e não é para salvar a economia nem a nós.

As entidades, movimentos e organizações políticas que abaixo subscrevem defendem:

  • Imediato fechamento das escolas, com reabertura apenas após a vacinação massiva da população;
  • Fechamento do comércio de produtos não essenciais;
  • Suspensão do transporte coletivo, deixando apenas o necessário pra viabilizar os serviços essenciais;
  • Proibição de qualquer evento social com a presença de público;
  • Maior suporte logístico aos hospitais e serviços de saúde;
  • Fechamento de praias e parques;
  • Testagem em massa para toda a população;
  • Contratação de mais profissionais de saúde e maior proteção à sua atividade laboral;
  • Retomada do auxílio emergencial de pelo menos 600 reais até o fim da pandemia.
  • Aquisição de vacinas por parte do governo do estado.

É hora de parar Santa Catarina! O lucro não pode estar acima da vida!

Santa Catarina, 25 de fevereiro de 2021.

Entidades que assinam o manifesto em SC

Intersindical Central da Classe Trabalhadora

Central Única dos Trabalhadores – CUT

Central Sindical e Popular Conlutas – CSP CONLUTAS

União Geral dos Trabalhadores – UGT

Central de Trabalhadoras e Trabalhadores do Brasil – CTB

Central dos Sindicatos Brasileiros – CSB/SC

SINJUSC

Brigadas Populares

Unidade Comunista Brasileira – UCB

8M

Marcha Mundial das mulheres

MNDH /SC

Núcleo do Fórum de mudanças climáticas e justiça socioambiental de SC

Resistência/PSOL

Juventude Manifesta/SC

Polo Comunista Luiz Carlos Prestes

SindSaúde/SC

Unidade Popular e Sindical – UPS

PCdoB – Partido Comunista do Brasil – Florianópolis/SC

Africatarina

SINASEFE Seção Sindical IFSC

Fórum de Mulheres do Mercosul Capítulo Brasil Seção Lages – FMM

Instituto Gentes de Direitos – IGENTES

SINDPD/SC – Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de PD e TI

Coletivo Alicerce

Juventude Comunista Avançando – JCA

SINTUDESC

Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina – SINTE/SC

SINTE Floripa

Portal Catarinas

Movimento Mulheres em Luta

PSTU

Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente – SINTAEMA/SC

Casa América Latina/SC

Via Campesina/SC

Movimento de Mulheres Camponesas – MMC/SC

Movimento dos Atingidos por Barragem – MAB/SC

Movimento dos Pequenos Agricultores – MPA/SC

Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra – MST/SC

Pastoral da Juventude Rural – PJR/SC

Pastoral da Juventude no Meio Popular – PJMP/SC

Levante Popular da Juventude/SC

Conselho Indigenista Missionário – CIMI/Regional Sul

Brigada Gina Couto da Via Campesina – Florianópolis/SC

Laboratório de Mobilidade, Trabalho e Movimentos Sociais – LABTRAMS-UDESC

SINTRAFESC

ASSIBGE-SC

SINPROESC

Comitê Popular Solidário de Joinville

Sindicato dos Servidores Municipais de Criciúma – SISERP

Sindicato dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos e Similares de Santa Catarina – SINTECT/SC

Movimento Sinte Pela Base

APRUDESC

SINDPREVS-SC

SINTUFSC

Tenda Lula Livre

PT/SC

PT Palhoça

PT Florianópolis

Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar – FETRAF/SC

Sind dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Forquilhinhas e Região – SINSERF-FRR

ANDES – Regional Sul

Movimento Policiais Antifascismo/SC

SINTE Regional São José

SINTE Regional Joinville

Mudiá Coletiva Lésbica Floripa

Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de Florianópolis – SEC Floripa

PSOL/SC

Rebeldia – Juventude da Revolução Brasileira

PSOL Floripa

SINDFAR-SC

PCB – Partido Comunista Brasileiro

Unidade Classista

Fórum Catarinense em Defesa do SUS e Contra as Privatizações

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Calçados, Vestuário, Afins e Similares de Sombrio e Região

Sindicado dos Servidores Públicos Municipais de Içara – SINDSERPI

PSOL Lages Sindicato dos ServidoresBB Públicos Municipais de Lages – SINDSERV

MAIS INFORMAÇÕES PARA VOCÊ