Estiagem em Santa Catarina: FETRAF-SC cobra ações do governo do estado

Em reunião nesta terça (24/11), a Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar de Santa Catarina (FETRAF-SC) cobrou do Secretário de Agricultura, Ricardo Gouvêa, ações urgentes para enfrentar a seca e garantir atendimento aos Agricultores e Agricultoras

A pior seca das últimas décadas já começa impacta na produção e renda dos Agricultores e Agricultoras Familiares de Santa Catarina. Sem chuvas significativas nos últimos meses e sem medidas de auxílios na área rural do estado, a Agricultura Familiar é a primeira a sentir os reflexos da estiagem que não tem previsão de acabar.

Sem chuva, os rios estão secando e as propriedades tiveram perda total no plantio de subsistência, perda total na safra de grãos (milho, feijão, soja), perda total de pastagens dos animais, esgotamento das fontes e reservatórios de água, redução e parada total na produção de aves e suínos, produção de leite. São dezenas os relatos de Agricultores e Agricultoras que percorrem quilômetros atrás de água para dar aos animais e outros que já começaram a vender parte do gado por não ter alimento.

“É inadmissível que estejamos há meses com esse quadro de seca e o governo do estado não tenha tomado uma medida efetiva que garanta atendimento e assistência aos Agricultores Familiares catarinenses. Já falta água nas propriedades e em breve os animais vão começar a morrer de fome e de sede”, questiona Jandir Selzler, coordenador da FETRAF-SC em reunião com a presença do Secretário da Agricultura e todos os deputados estaduais do oeste de Santa Catarina.

Para Jandir, falta ação do Estado com medidas que cheguem até os Agricultores e Agricultoras Segundo ele, o que se tem até o momento são medidas isoladas de alguns prefeitos e ações desesperadas de produtores rurais que se juntam para garantir fornecimento de água para o consumo e também, de garantia mínima para os animais.

“Se o Estado não tem um programa que viabilize o trato dos animais, que procure criar formas, trazer recursos, insumos de outras regiões do país, subsidiar transporte, o custo. Algo precisa ser feito para garantir que na semana que vem os Agricultores e Agricultoras tenham como tratar os animais. Ou o governo vai esperar o bicharedo morrer e os Agricultores e Agricultoras terem ainda mais prejuízo na produção?” indaga Jandir.

Outras ações estão sendo organizadas pela FETRAF-SC, como a organização de mobilizações em todo o Estado. Uma audiência com a governadora Daniela Reinehr já foi solicitada por todas as entidades do campo (Agricultura Familiar e Via Campesina) para apresentar as reivindicações dos Agricultores e Agricultoras, mas até o momento a reunião segue sendo ignorada pelo executivo estadual.

 “Não vamos arredar o pé, exigimos respeito e ação imediata dos políticos do nosso estado, para que tragam medidas concretas de auxílio a quem é responsável pela produção de alimentos em Santa Catarina!”, enfatiza o coordenador da FETRAF-SC.

Sílvia Medeiros – Jornalista Fetraf-SC

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Mais postagens

Agricultor preso em santa catarina

Em um Estado que legisla para os grandes, agricultor familiar precisou ser preso para ser ouvido

Propriedade de agricultor familiar, preso no interior de Santa Catarina, é a única do município livre de tuberculose e brucelose; …

estiagem santa catarina

Estiagem: entidades garantem R$ 243,5 mi para a Agricultura Familiar em Santa Catarina

Em audiências com governador e secretário, a FETRAF-SC, junto com demais lideranças, cobrou ações para amenizar a estiagem em Santa …

FETRAF-SC entra na luta por Programa de Aquisição de Alimentos Estadual

Sem previsão de orçamento da União, programa de erradicação da fome está ameaçado e expõe Agricultura Familiar à miséria Comprar …