Selo Arte: Governo abre mercado nacional para produtos artesanais catarinenses

COMPARTILHE ISSO

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Os produtores artesanais de Santa Catarina poderão conquistar o mercado nacional com mais facilidade e garantia de qualidade para os consumidores. O Governo do Estado passará a conceder o Selo Arte, que permite a comercialização de produtos como queijos, embutidos, pescados e mel em todo território nacional. O governador Carlos Moisés assinou nesta terça-feira, o Dia do Agricultor, uma portaria regulamentando a legislação federal sobre o assunto para o caso de Santa Catarina.

“Esses produtores agora poderão comercializar os seus produtos além das divisas de Santa Catarina. Isso agrega valor ao produto do homem do campo e torna mais justa a sua atuação. É uma ação do Governo do Estado visando o bem estar da sociedade, cuidando daqueles que produzem aqui”, declarou Carlos Moisés.

O ato desta terça-feira foi acompanhado pelo secretário de Estado da Agricultura, Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa, pela presidente da Epagri, Edilene Steinwandter, presidente da Cidasc, Luciane Surdi, e pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faesc), José Zeferino Pedrozo. Os deputados estaduais José Milton Scheffer, Moacir Sopelsa, Volnei Weber, Neodi Saretta e Fabiano da Luz também prestigiaram o encontro.

Demanda antiga

O Selo Arte é uma antiga demanda dos produtores brasileiros e que, agora, passa a ser possível em Santa Catarina. Os produtos artesanais poderão ser comercializados em todo o país, desde que submetidos ao serviço de inspeção oficial (municipal, estadual ou federal) e identificados por um selo único com a indicação Arte.

Para ser considerado artesanal, o produto deve ser individualizado, genuíno e manter as características tradicionais, culturais ou regionais. Além disso, deverá ser regulamentado e reconhecido como artesanal pelo Estado de Santa Catarina. Um dos produtos que poderá obter o Selo Arte, por exemplo, é o queijo artesanal serrano, um produto típico de Santa Catarina, produzido por milhares de famílias em 18 municípios.

O secretário Gouvêa explica que em Santa Catarina há uma variedade de produtos artesanais como queijos, embutidos, mel e pescados, que podem ser apresentados ao Brasil, eliminando vários entraves burocráticos. “Essa iniciativa vem para fortalecer e valorizar a cultura e a tradição catarinense, agregando valor e qualidade aos produtos que tanto orgulham o estado. Além disso, os consumidores de todo país poderão conhecer os produtos de Santa Catarina, que já são referência em qualidade e segurança alimentar”, destaca.

Concessão do Selo Arte

A Cidasc, por meio do Departamento Estadual de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DEINP), será responsável por conceder o Selo Arte aos produtos que atenderem aos requisitos previstos nas normativas estaduais e federais.

A presidente da Cidasc, Luciane Surdi, reforça que os estabelecimentos deverão possuir algum tipo de serviço de inspeção oficial (Serviço de Inspeção Municipal, Estadual ou Federal – SIM, SIE ou SIF, respectivamente) e que o Selo Arte será concedido para os produtos e não para os estabelecimentos.

Surdi destaca ainda que o selo será um certificado de que os produtos estão em conformidade com as boas práticas de fabricação, possibilitando o comércio nacional, a agregação de valor e o aumento de renda aos produtores catarinenses.

Fonte:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural
Foto: Ricardo Wolffenbuttel/ Secom

MAIS INFORMAÇÕES PARA VOCÊ