FETRAF - SC - Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar de Santa Catarina
FETRAF - SC - Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar de Santa Catarina
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras
na Agricultura Familiar de Santa Catarina
Atendimento
49 . 3329 6137
48 . 3266 6462
WEBMAIL

NOTÍCIAS


Coordenação da FETRAF SC repudia veto de Colombo


08/02/2018

“Agricultura Familiar sai prejudicada mais uma vez”, afirma Bergamin

Não é a primeira vez que o governo catarinense veta um Projeto de Lei que apoia e incentiva a agricultura familiar e a produção agroecológica no estado. Desta vez o veto foi contra o PL 0577.4/2015, de autoria do deputado Dirceu Dresch, que estabelecia que no mínimo 20% da alimentação das escolas do estado fossem de origem agroecológica e orgânica.

Para o coordenador geral da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar de Santa Catarina (FETRAF SC), o veto “prejudica não só a categoria, mas em especial as crianças e jovens estudantes que deixam de se alimentar com produtos saudáveis e sem agrotóxicos e as famílias que produzem de forma orgânica e agroecológica, pois temos muitos agricultores organizados que podem garantir o fornecimento de alimentos para a rede de ensino em todo o estado”, declara.

O governo estadual já impediu também outros projetos voltados para a agricultura familiar, como por exemplo o de compra de alimentos agroecológicos, o PL de incentivo às agroindústrias familiares e o que criava a Política Estadual de Proteção e Incentivo à Produção de Leite na Agricultura Familiar. “O governador tem jogado contra os agricultores e agricultoras e se articula com as grandes empresas do setor de alimentação, que detêm mais de 70% do ramo”, explica Bergamin. O veto impede o acesso a alimentos saudáveis e ao incentivo de hábitos alimentares que auxiliam no combate à obesidade infantil, além de diminuir o acesso ao mercado para agricultores familiares que produzem orgânicos.

O coordenador destaca ainda que os agricultores catarinenses têm espaço e demanda para além dos 30%. “São quase 170 mil propriedades com potencial de garantir até 70% da alimentação entregue para as escolas. Foi mais uma grande falha e erro do governo não aprovar a compra de produtos orgânicos. A FETRAF SC vai continuar trabalhando para que o estado aprove essas iniciativas dos deputados e a pauta de reivindicações da Federação para garantir a ampliação e o incentivo aos agricultores e agricultoras que representa”, conclui.



Fonte: Assessoria de Com. e Imprensa FETRAF SC - Patrícia Duarte -Jornalista MTb 3090/SC







topo